NOTÍCIAS


Voltar

Caixa Econômica: concursos podem ter vagas imediatas

A exemplo do que aconteceu com o Banco do Brasil, os próximos concursos públicos da Caixa Econômica Federal (CEF) poderão contar um número total de vagas para preenchimento imediato, não sendo mais apenas para cadastro reserva de pessoal, como vem ocorrendo.  Decisão liminar concedida pela juíza Roberta de Melo Carvalho, do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 10ª região e 6ª Vara do Trabalho de Brasília, no último dia 29 de janeiro, além de ressaltar a necessidade de indicar um número de vagas nos editais dos concursos da instituição, também prorroga o prazo de validade do último concurso do órgão, de 2014, para os cargos de técnico bancário, engenheiro e médico do trabalho, que venceriam em junho, até que tramite em julgado o término de ação civil pública ajuizada pelo Ministério Público do Trabalho (MPT) da 10ª região, do Distrito Federal e Tocantins. 
 
"Que a Caixa Econômica Federal se abstenha de realizar novos certames que tenham a figura exclusiva do cadastro de reserva ou que contenham número irrisório de vagas não correspondente à real demanda do banco no momento da publicação do edital", diz a juiza, na decisão.
 
Com isto, os remanescentes do último concurso, que ainda aguardam convocações, devem ficar atentos, pois ainda podem ter grandes chances de nomeações.
 
Vale lembrar que a decisão não impede a realização de novo concurso público. Porém, determina que em caso de publicação de outro edital, seja priorizada a nomeação dos aprovados no concurso de 2014.
 
Segundo a assessoria de imprensa da Caixa, o órgão ainda não foi notificado sobre a decisão judicial. 
 
Agora, a nomeação dos remanescentes, necessidade de indicar oferta de vagas imediatas e previsão de novos concursos, passam  a depender do processo judicial, cuja  audiência inaugural está marcada  para 1º de abril.
 
A carreira
 
O cargo de técnico bancário, um dos mais procurados do funcionalismo, exige apenas ensino médio, com remuneração de R$ 2.932,32, incluindo salário base de R$ 2.025 e R$ 907,32 de benefícios  - isso no concurso Caixa Econômica de 2014.
 
A grande procura se deve, ainda, aos benefícios oferecidos pela instituição, como possibilidade de evolução salarial ao longo da trajetória profissional, possibilidade de ascensão e desenvolvimento profissional, participação nos lucros e resultados, possibilidade de participação em plano de saúde de previdência complementar, auxílio refeição-alimentação, auxílio cesta-alimentação, possibilidade de participação em programa de elevação da escolaridade e desenvolvimento e programas de preservação da saúde, qualidade de finda e prevenção de acidentes.
 
Atribuições
 
Cabe ao técnico bancário da Caixa Econômica prestar atendimento e fornecer informações solicitadas por clientes e público, efetuar atividades administrativas necessárias ao bom andamento do trabalho da unidade, operar computador, terminais e outros equipamentos,instruir e relatar processos administrativos e operacionais, efetuar cálculos diversos referentes às operações, programas e serviços da Caixa, elaborar e redigir correspondências, preparar o movimento diário,manter atualizadas as operações, programas e serviços implantados eletronicamente, dar andamento em processos e documentos tramitados na unidade, realizar trabalho relativo à edição de textos e planilhas eletrônicas, arquivos, pesquisa cadastral, controle de protocolo e demais atividades operacionais e elaborar e preparar mapas, gráficos, relatórios e outros documentos.   
 
Embora o último concurso Caixa Econômica tenha sido apenas para formar cadastro reserva de pessoal, a seleção contou com nada menos do que 1.156.744 inscritos em todo o país. A organizadora foi o Cespe/UnB.
 
Concurso Caixa Econômica
 
No edital da Caixa Econômica de 2014, constou que a prova objetiva teve 120 itens, sendo 50 de conhecimentos básicos e 70 de conhecimentos específicos. Em conhecimentos básicos foram 14 de língua portuguesa, com peso dois, e 36 sobre matemática, raciocínio lógico, atualidades, ética e legislação específica, com peso um. Conhecimentos específicos contou com peso dois. Os candidatos também foram submetidos a uma prova discursiva de conhecimentos específicos, com peso um.
 
Carência de Pessoal
 
Em audiência pública, realizada em 29 de setembro, pela Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público da Câmara dos Deputados, foi discutida a necessidade de pessoal, em decorrência do esvaziamento do quadro de funcionários.
 
De acordo com os deputados, a estrutura da Caixa tem crescido com ampliação de unidades, entretanto, a quantidade de empregados lotados é insuficiente para a quantidade de serviços.
Entre os participantes estavam a coordenadora da comissão executiva dos empregados da Caixa Econômica Federa, Fabiana Matheus e o gerente nacional de informações corporativas, Almir Márcio Miguel, além de representantes do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão; e representante da Secretaria de Relações Institucionais.
 
Na ocasião, embora o gerente nacional de informações corporativas da Caixa, Almir Márcio Miguel, tenha ressaltado que a instituição passou por um processo de constante crescimento, no decorrer dos últimos anos,reconhece que em 2015 não houve reposição de saídas de servidores, com a nomeação de aprovados no último concurso, em decorrência da atual situação econômica no país, o que ressalta a necessidade de novas contratações. De acordo com ele, do último concurso já foram nomeados aproximadamente 2.600 aprovados.
 
Já a coordenadora da comissão executiva dos empregados da CEF,Fabiana Matheus, explicou que o crescimento do número de empregados na instituição foi bem menor que o crescimento do número de agências e clientes. Segundo ela, em 2003, a instituição possuía 107 mil trabalhadores, sendo 55.778 empregados e 51 mil terceirizados e estagiários. Com o termo de ajustamento de conduta em 2004 e 2008, o número de terceirizados foi diminuindo, mas em ritmo mais acelerado que a contratação de pessoal. Explica que a instituição conta, atualmente,com 97.922 trabalhadores, número menor que em 2003. Enquanto isso, o crescimento de serviços e unidades tem aumentado constantemente. “Em 2003 existiam, em média, 32 trabalhadores por unidade e atualmente são,aproximadamente, 23 funcionários por unidade”, disse.

Fonte: JCC Concursos

outras notícias
Depoimentos
  • Sarah de Mattos Oliveira, Arquiteta, 24 anos, aluna do Curso Logos há 1 ano e 2 meses. Metódica e organizada, é assim que Sarah se julga. Qualidades que contribuíram para passar no concurso de Auditor Fiscal do Trabalho. Atribui seu sucesso às 10 horas de estudo fora o tempo que estava no curso. Freqüentadora assídua dos sites que fornecem provas de concursos anteriores, Sarah acredita que conhecer a Banca é importante e que traz segurança na hora da prova. ¨O mais interessante é que, mesmo sendo formada em Arquitetura, me identifiquei com todas as disciplinas deste concurso e isso me ajudou, pois gostava de estudar. Sempre tive esperança que ia passar”.

  • João Paulo Santos Leonel, 27 anos, 1º Lugar de Minas no TRE-MG. Formado em Filosofia, trabalhava como GARÇOM de quinta a domingo em um bar e aos domingos servia almoço em um restaurante. Começou tendo que conciliar o trabalho com os estudos. Um tempo depois, quando percebeu que havia formado uma boa base, pediu demissão e ficou só estudando. Com isso, conseguiu passar no concurso do TRE/MG. Sempre estudou no Logos, onde seu irmão, Geraldo Edson Leonel Jr, também foi aluno e passou em 1º lugar no concurso do STM, que só tinha uma vaga. O maior incentivo para quem acha que passar em concurso não é possível e que não existem regras, nem “ditados”, afinal, João Paulo não cursou Direito, nem Economia, ou qualquer outro curso que o preparasse melhor para concursos! Além do mais, formar em Filosofia e trabalhar à noite pesariam, com certeza, na cabeça de qualquer pessoa que não tivesse a CORAGEM que ele teve de ACREDITAR que É POSSÍVEL SIM, PASSAR EM UM CONCURSO.

  • Ana Clara Zimmermmann Fonseca, 21 anos, 7º lugar na Polícia Rodoviária Federal. Estava cursando Administração na UFJF. Iniciou seus estudos no Logos e passou no 1º concurso que fez. Encontrou apoio na família, tanto emocional como financeiro, o que ela acredita ter sido de extrema importância para sua vitória. Nunca deixou de fazer exercícios físicos, pois sempre achou que ficava mais animada, feliz e sem stress. Jamais desanimou, às vezes chegou a pensar na dificuldade que é passar em um concurso tão concorrido, com matérias que ela inclusive nunca havia visto, como: Direito, Informática, Legislação de Trânsito..., mas com CALMA, DEDICAÇÃO, MUITA VONTADE  e a ajuda de DEUS conseguiu ser aprovada. Sentiu  uma “SENSAÇÃO MARAVILHOSA”, de Dever Cumprido.