NOTÍCIAS


Voltar

Concurso PC-RJ delegado: mais uma banca é formada

A Polícia Civil do Rio de Janeiro formou a banca examinadora de Direito Constitucional para as provas do concurso de delegado. Na última terça-feira, 21, a corporação anunciou os delegados Marcus Neves e Luiz Marcelo como membros responsáveis por essa área. 
 
Outros nomes da banca também já foram divulgados. O desembargador federal Guilherme Calmon, por exemplo, foi escolhido para disciplina de Direito Civil. Já o também desembargador Paulo Rangel aceitou o convite para banca de Direito Processual Penal. Os delegados Alessandra da Silva Andrade e Marcos Motta, por sua vez, foram anunciados como integrantes para Direito Administrativo. Ainda restam os membros para Medicina Legal. 
 
Nas provas objetivas do concurso PC-RJ para delegado serão cobradas seis disciplinas, como: 
  • Direito Penal; 
  • Direito Processual Penal; 
  • Direito Administrativo;
  • Direito Constitucional; 
  • Direito Civil;
  • Medicina Legal. 
Para cada área, um membro da banca examinadora será responsável por elaborar as questões e corrigi-las. A agilidade para formação desse grupo de profissionais é um sinal positivo para os interessados no concurso. Isso porque indica que os preparativos para o edital estão em andamento pela corporação. O cargo de delegado tem como pré-requisito apenas a graduação em Direito. A remuneração atual é de R$18.747,95, já incluído o auxílio-alimentação de R$264.
 
Além de delegado, a Polícia Civil do Rio tem autorização para abrir concurso em mais quatro cargos: auxiliar de necropsia (nível fundamental), técnico de necropsia (nível médio), inspetor (nível superior) e perito (nível superior em áreas específicas).
 
Edital para delegado deve ser o primeiro divulgado 
 
O concurso de delegado de polícia é o que tem os preparativos mais adiantados. E, por isso, deve ter o primeiro edital publicado pela Polícia Civil-RJ. 
 
O secretário da corporação, Marcus Vinícius Braga, já confirmou essa ordem. Ele também apontou qual carreira deve ter o segundo edital divulgado pela PC-RJ. “O primeiro, provavelmente, será o de delegado de polícia, junto com o de inspetor”. A previsão é que o edital da carreira de delegado saia a partir de julho, de acordo com o membro da banca examinadora, Paulo Rangel.
 
Outra dado confirmado é que o concurso Polícia Civil-RJ terá um edital para cada cargo, devido suas características específicas. A direção da Academia de Polícia Sylvio Terra (Acadepol) informou que os editais serão publicados em até 45 dias após a contratação da banca.
 
No momento, a corporação está na fase de escolha da banca organizadora. Até oito instituições enviaram suas propostas de preços para receber as inscrições e aplicar as provas do concurso. 
 
Oferta do concurso Polícia Civil-RJ pode chegar a mil vagas 
 
Hoje, a Polícia Civil do Rio trabalha com o aval para abrir 96 vagas no concurso PC-RJ. Essa autorização foi concedida pelo então governador Luiz Fernando Pezão, em 2018. Contudo, o atual chefe do executivo estadual, Wilson Witzel, já anunciou que a oferta passará para mil vagas. De acordo com ele, serão em torno de 180 vagas para delegado e 800 para outras funções de policial. Tal quantitativo ainda não saiu no Diário Oficial. Assim que isso for concretizado, a distribuição por cargos será redefinida. Enquanto isso não acontece, a Polícia Civil do Rio de Janeiro busca alternativas para chegar à oferta de mil vagas. 

outras notícias
Depoimentos
  • Sarah de Mattos Oliveira, Arquiteta, 24 anos, aluna do Curso Logos há 1 ano e 2 meses. Metódica e organizada, é assim que Sarah se julga. Qualidades que contribuíram para passar no concurso de Auditor Fiscal do Trabalho. Atribui seu sucesso às 10 horas de estudo fora o tempo que estava no curso. Freqüentadora assídua dos sites que fornecem provas de concursos anteriores, Sarah acredita que conhecer a Banca é importante e que traz segurança na hora da prova. ¨O mais interessante é que, mesmo sendo formada em Arquitetura, me identifiquei com todas as disciplinas deste concurso e isso me ajudou, pois gostava de estudar. Sempre tive esperança que ia passar”.

  • João Paulo Santos Leonel, 27 anos, 1º Lugar de Minas no TRE-MG. Formado em Filosofia, trabalhava como GARÇOM de quinta a domingo em um bar e aos domingos servia almoço em um restaurante. Começou tendo que conciliar o trabalho com os estudos. Um tempo depois, quando percebeu que havia formado uma boa base, pediu demissão e ficou só estudando. Com isso, conseguiu passar no concurso do TRE/MG. Sempre estudou no Logos, onde seu irmão, Geraldo Edson Leonel Jr, também foi aluno e passou em 1º lugar no concurso do STM, que só tinha uma vaga. O maior incentivo para quem acha que passar em concurso não é possível e que não existem regras, nem “ditados”, afinal, João Paulo não cursou Direito, nem Economia, ou qualquer outro curso que o preparasse melhor para concursos! Além do mais, formar em Filosofia e trabalhar à noite pesariam, com certeza, na cabeça de qualquer pessoa que não tivesse a CORAGEM que ele teve de ACREDITAR que É POSSÍVEL SIM, PASSAR EM UM CONCURSO.

  • Ana Clara Zimmermmann Fonseca, 21 anos, 7º lugar na Polícia Rodoviária Federal. Estava cursando Administração na UFJF. Iniciou seus estudos no Logos e passou no 1º concurso que fez. Encontrou apoio na família, tanto emocional como financeiro, o que ela acredita ter sido de extrema importância para sua vitória. Nunca deixou de fazer exercícios físicos, pois sempre achou que ficava mais animada, feliz e sem stress. Jamais desanimou, às vezes chegou a pensar na dificuldade que é passar em um concurso tão concorrido, com matérias que ela inclusive nunca havia visto, como: Direito, Informática, Legislação de Trânsito..., mas com CALMA, DEDICAÇÃO, MUITA VONTADE  e a ajuda de DEUS conseguiu ser aprovada. Sentiu  uma “SENSAÇÃO MARAVILHOSA”, de Dever Cumprido.

Whatsapp