NOTÍCIAS


Voltar

Conheça o perfil da banca organizadora IBFC

O Instituto Brasileiro de Formação e Capacitação está no mercado há anos, tendo sido contratado como banca organizadora de vários certames em todo o país.

Apesar de não ser tão conhecida pelos concurseiros em geral, a organizadora é responsável por cerca de 90% dos concursos em Minas Gerais. Além de já ter aplicado provas em certames de outros estados:

•           Tribunal de Contas do Município do Rio de Janeiro

•           Tribunal de Justiça do Paraná

•           Tribunal Regional Eleitoral de Amazonas

•           Ministério Público de São Paulo

•           Prefeituras e governos estaduais

Para manter o sigilo na fase de elaboração das provas, os professores elaboram mais questões do que o necessário, de forma que não terá como saber quais serão cobradas. Eles também não são informados para qual concurso estão trabalhando.

Confira algumas características do estilo de prova aplicada em concursos organizados pelo IBFC:

Os concursos públicos organizados pelo IBFC consistem de provas objetivas, de caráter eliminatório e classificatório, e de avaliações curriculares de títulos e de experiência profissional, de caráter exclusivamente classificatório;

As Provas são objetivas de múltipla escolha. Compostas, em média, de 50 questões distribuídas pelas áreas de conhecimento. Sendo cada questão com 4 alternativas e uma única resposta correta.

A banca possui um perfil mais acadêmico. Dessa forma, a elaboração de suas provas é feita por professores com mestrado e doutorado. Como se adaptam aos pedidos de diversas áreas e instituições, contratam muitos professores. Por conta da rotatividade, a prova não tem um nível de complexidade muito elaborado e aborda questões elementares.

Em relação ao conteúdo cobrado, as questões costumam ser situacionais, ou seja, costumam cobrar conteúdos relacionados ao trabalho do cargo almejado. Não é estilo da banca utilizar pegadinhas em suas questões. Contudo, essa possibilidade não pode ser por inteira descartada;

Embora, em regra, não ser possível cobrir todo o programa do edital nas questões de cada concurso, o IBFC preocupa-se em detectar os principais pontos relacionados com as atividades em suas provas, fato que exige o estudo inteligente dos seus editais;

O IBFC não possui histórico de se aventurar muito por questões polêmicas. Por exemplo, nas disciplinas jurídicas percebe-se que suas questões procuram manter a fidelidade aos textos legais e, quando ingressam em temas da doutrina e da jurisprudência, em geral, exigem dos candidatos conhecimentos sobre pontos que não representam divergências entre doutrinadores e tribunais.

Em disciplinas como Raciocínio Lógico e Português, o estilo do IBFC já foi comparado ao estilo da organizadora CESGRANRIO.

Agora que você já conhece algumas das características dessa banca, comece a se preparar para o concurso TJMG 2º Instância que teve a IBFC escolhida como banca. Temos turmas com início dia 14 de maio.

outras notícias
Depoimentos
  • Sarah de Mattos Oliveira, Arquiteta, 24 anos, aluna do Curso Logos há 1 ano e 2 meses. Metódica e organizada, é assim que Sarah se julga. Qualidades que contribuíram para passar no concurso de Auditor Fiscal do Trabalho. Atribui seu sucesso às 10 horas de estudo fora o tempo que estava no curso. Freqüentadora assídua dos sites que fornecem provas de concursos anteriores, Sarah acredita que conhecer a Banca é importante e que traz segurança na hora da prova. ¨O mais interessante é que, mesmo sendo formada em Arquitetura, me identifiquei com todas as disciplinas deste concurso e isso me ajudou, pois gostava de estudar. Sempre tive esperança que ia passar”.

  • João Paulo Santos Leonel, 27 anos, 1º Lugar de Minas no TRE-MG. Formado em Filosofia, trabalhava como GARÇOM de quinta a domingo em um bar e aos domingos servia almoço em um restaurante. Começou tendo que conciliar o trabalho com os estudos. Um tempo depois, quando percebeu que havia formado uma boa base, pediu demissão e ficou só estudando. Com isso, conseguiu passar no concurso do TRE/MG. Sempre estudou no Logos, onde seu irmão, Geraldo Edson Leonel Jr, também foi aluno e passou em 1º lugar no concurso do STM, que só tinha uma vaga. O maior incentivo para quem acha que passar em concurso não é possível e que não existem regras, nem “ditados”, afinal, João Paulo não cursou Direito, nem Economia, ou qualquer outro curso que o preparasse melhor para concursos! Além do mais, formar em Filosofia e trabalhar à noite pesariam, com certeza, na cabeça de qualquer pessoa que não tivesse a CORAGEM que ele teve de ACREDITAR que É POSSÍVEL SIM, PASSAR EM UM CONCURSO.

  • Ana Clara Zimmermmann Fonseca, 21 anos, 7º lugar na Polícia Rodoviária Federal. Estava cursando Administração na UFJF. Iniciou seus estudos no Logos e passou no 1º concurso que fez. Encontrou apoio na família, tanto emocional como financeiro, o que ela acredita ter sido de extrema importância para sua vitória. Nunca deixou de fazer exercícios físicos, pois sempre achou que ficava mais animada, feliz e sem stress. Jamais desanimou, às vezes chegou a pensar na dificuldade que é passar em um concurso tão concorrido, com matérias que ela inclusive nunca havia visto, como: Direito, Informática, Legislação de Trânsito..., mas com CALMA, DEDICAÇÃO, MUITA VONTADE  e a ajuda de DEUS conseguiu ser aprovada. Sentiu  uma “SENSAÇÃO MARAVILHOSA”, de Dever Cumprido.

Whatsapp